quinta-feira, 3 de abril de 2014

Base do governo protocola pedido de CPI ampla que investigará trensalão tucano


VicentinhoAssinaturas
Os líderes do governo na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), e no Senado, senador José Pimentel (PT-CE), juntamente com o líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), protocolaram nesta quinta-feira (3), na Secretaria-Geral da Mesa do Senado, pedido de abertura de Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar várias denúncias de corrupção envolvendo a utilização de recursos públicos.

A proposta apresentada pelos líderes petistas não foca apenas a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, pela Petrobras, como pretende o bloco oposicionista liderado pelo DEM e PSDB. A proposição amplia o escopo da investigação para os metrôs de São Paulo, sob gestão do PSDB, e do Distrito Federal, em governos do PSDB e DEM, o porto de Suape, em Pernambuco, sob administração do PSB,  e contratos na área de tecnologia digital.

O requerimento contou com a assinatura de 32 senadores e 219 deputados, números superiores ao exigido pelos regimentos interno das duas Casas.

"O que queremos é a apuração da verdade", disse o líder Vicentinho. " E, se nas investigações do metrô de SP, do caso da Suape ou da Petrobras ficarem comprovadas irregularidades, os responsáveis deverão ser punidos".

O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia, disse que o tema proposto pela oposição é recorrente. Ele explicou que em 2010, a pedido dos mesmos partidos, DEM e PSDB, foi instalada uma CPI que investigou as mesmas denúncias, ou seja, aquisição de Pasadena e a construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. De acordo com Chinaglia, o resultado produzido por essa CPI foi encaminhado ao Tribunal de Contas da União, Ministério Público Federal, Controladoria Geral da União e Polícia Federal, os quais prosseguem com as investigações.

Ele avaliou que a nova investida da oposição "não faz justiça com o trabalho desenvolvido pelo próprio Senado, à época".

Arlindo Chinaglia frisou que o governo e a base aliada vão agir com "seriedade", para investigar tudo. Ele disse ainda que não há por parte do governo nenhuma preocupação e alertou: "Se a oposição quiser repetir o que ela fez na investigação do caso do senador Demóstenes Torres, de (Carlos) Cachoeira (bicheiro) e de um governador que já foi parlamentar do PSDB, saberemos, também, enfrentar situações como essa".

O líder do governo no Senado, senador José Pimentel reafirmou que o governo não tem medo de qualquer apuração, tanto é que defendeu a ampliação da investigação da CPI . De acordo com ele, a proposta foi feita para dar tranquilidade à sociedade brasileira. "Nosso governo vai continuar investigando, combatendo e prendendo, dentro do Estado Democrático de Direito, todos aqueles que cometem desvios de recursos", disse Pimentel.

Ele lamentou que tal prática não é verificada no estado de São Paulo, governado pelo PSDB. "Estamos há 20 anos tentando instalar uma CPI no estado de São Paulo. Ali, o PSDB não deixa investigar o desvio de recursos no sistema de transporte metroviário e ferroviário", observou.

Pimentel adiantou que a leitura do requerimento de abertura da CPMI ocorrerá no próximo dia 15 de abril na sessão do Congresso Nacional.

Leia a íntegra do requerimento que pede a CPMI. Clique aqui

Benildes RodriguesFoto: Gustavo Bezerra/PT na Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário