segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Movimentos sociais, artistas e intelectuais se unem em defesa da Petrobras





ato-petrobras

Em ato programado para esta terça-feira (24), às 18h, na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro, centrais sindicais, movimentos sociais e intelectuais se unem em defesa da Petrobras. Os organizadores do evento seguem a mesma tese defendida pela presidenta Dilma Rousseff que afirmou, na última semana, que o país não pode penalizar a maior empresa brasileira pelos malfeitos cometidos por alguns de seus funcionários.

Com o slogan “Defender a Petrobras é defender o Brasil”, grupos de advogados, jornalistas, intelectuais e representantes do movimento sindical pretendem alertar os brasileiros sobre os interesses privatistas que estão por trás dos ataques que a Petrobras vem sofrendo nos últimos tempos.

"A investigação, o julgamento e a punição de corruptos e corruptores, doa a quem doer, não pode significar a paralisia da Petrobras e do setor mais dinâmico da economia brasileira", diz o Manifesto em Defesa da Petrobras e do Brasil.

Para o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas os “oportunistas de plantão querem usar a conduta criminosa de alguns funcionários de alto escalão para preparar a empresa para a privatização”. Ele lembrou que a Petrobras representa mais de 13% do PIB brasileiro e advertiu: “vamos defender este patrimônio contra qualquer tipo de interesse privatista ou do capital internacional”.

O deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) partilha da mesma opinião. "A história da Petrobras é marcada pela resistência e não será diferente dessa vez. É preciso apurar todos os malfeitos, sem exceção, mas isso não pode servir de trampolim para grupos que pretendem enfraquecer a maior empresa brasileira, orgulho de nosso País. Todo apoio à Petrobras e aos petroleiros".

Participam do ato o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, a filósofa Marilena Chauí, os escritores Eric Nepomuceno e Fernando Moraes, a jornalista Hildegard Angel, o cineasta Luiz Carlos Barreto, o coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel, o presidente da CUT, Vagner Freitas, entre outros.

Benildes Rodrigues com site da CUT
Texto publicado originalmente no site PT Na Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário