segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Pedro Parente promove “Black Friday” na Petrobras, denuncia Pellegrino























Em  um duro discurso proferido na última sexta-feira (25), num ato em defesa da Petrobras e do pré-sal, o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) afirmou que o presidente da Petrobras, o tucano Pedro Parente, faz “Black Friday” com os ativos da estatal. Ele se referiu ao pacote de empresas e negócios colocados à venda recentemente pela companhia. O ato foi organizado pela CUT e Sindipetro, na frente da sede da Petrobras, em Salvador (BA).

“Agora eles implantaram um corpo estranho na Petrobras que é o senhor Pedro Parente, para fazer o serviço sujo da privatização, da entrega da nossa riqueza, para fazer um Black Friday dos ativos da empresa, gerando milhões de prejuízos ao País. Isso é um crime”, acusou Pellegrino.

Para apurar o “saldão” do entreguismo tucano na Petrobras, que começou desde que Parente assumiu a companhia no último mês de junho, com a venda da Nova Transportadora do Sudeste (NTS) e a Petrobras Argentina (PESA), o deputado informou que o Ministério Público foi acionado para que investigue essa sanha entreguista.

“Cobrei na tribuna da Câmara, para que o MP investigue o que está acontecendo na Petrobras, neste momento, porque são bilhões e bilhões que estão sendo entregues de forma criminosa nessas licitações que, às vezes, nem são realizadas. Esse é um processo de entrega da bacia da alma - do patrimônio da Petrobras”, denunciou Nelson Pellegrino se referindo à lista de queima de ativos proposta por Pedro Parente que, entre outras, estão a BR Distribuidora e a Liquigás.

Protagonista na luta para impedir que o governo usurpador de Michel Temer entregasse o pré-sal às petrolíferas estrangeiras, por meio do projeto de lei (PL 4567/16), de autoria do senador e chanceler José Serra (PSDB-SP) – que desobriga a Petrobras de ser operadora exclusiva do pré-sal, o deputado Pellegrino disse que um dos objetivos de Michel Temer e José Serra é rever a Lei 12.351/10, que estabelece o regime de partilha.

“No mundo inteiro onde foi adotado o regime de partilha, quem explora o petróleo são as empresas estatais. Eles (tucanos) pregam uma coisa, mas aqueles que eles seguem de forma cega, não fazem o que pregam”, criticou o deputado a subserviência dos gestores golpistas diante dos interesses de empresas estrangeiras.

“A riqueza do pré-sal é do povo brasileiro. Quem for lá explorar vai ser remunerado pela participação, mas o lucro fica com a União que irá investir esse recurso em saúde, educação, na preservação do meio ambiente, e em ciência e tecnologia”, defendeu.

Sugeriu o deputado uma intensa mobilização para impedir o desmonte que o governo golpista vem patrocinando na Petrobras. “Não concordamos com esse crime contra a Petrobras. Não vamos aceitar. Vamos buscar todos os recursos necessários, quer seja na justiça, ou em atos como este, com participação de sindicatos, associações, entidades da sociedade civil e, ainda, no Congresso Nacional para interditar essa agenda entreguista”, afirmou Nelson Pellegrino.

Benildes Rodrigues
Foto: facebook do deputado


Nenhum comentário:

Postar um comentário