quinta-feira, 18 de maio de 2017

Renuncia Temer e Diretas já


video


O governo golpista acabou, e a bomba que o implodiu indica o único caminho possível ao País: fora Temer e Diretas Já. O presidente ilegítimo e conspirador Michel Temer foi flagrado em gravações participando diretamente da negociação de propina para comprar o silêncio do réu e ex-deputado Eduardo Cunha, atualmente preso. A transação envolveu R$ 500 mil, entregues ao intermediário indicado pelo próprio Temer, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que foi filmado pela Polícia Federal carregando a mala de dinheiro. “Tem que manter isso, viu?”, disse Temer sobre o acordo.

Os estilhaços da mesma bomba exterminaram igualmente a carreira política do senador e presidente do PSDB, Aécio Neves. Ele aparece em áudio pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS, o mesmo que gravou o ilegítimo Temer. Ao negociar quem iria pegar a propina, Aécio Neves revelou um lado mais obscuro da transação: “tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque elesai de lá e vai no cara”.

Diante da gravidade dos fatos, a Bancada do PT, juntamente com parlamentares de outras bancadas (PCdoB, PSol, PDT, PSB e Rede), decidiu fazer um chamamento imediato para realizar eleições diretas e para exigir a renúncia de Temer. A oposição vai apresentar um pedido de impeachment e fazer um movimento para votar o mais rapidamente possível a proposta de emenda à Constituição que determina a realização de eleição diretas em qualquer momento de vacância dos cargos de presidente e vice-presidente da República.

“Esse governo acabou, mas as forças que o sustentam não acabaram ainda. É preciso um movimento forte de resistência em todo o País com o povo na rua”, disse o líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP). Ele reforçou ser inaceitável tentar resolver essa situação por meio de uma eleição indireta. “A posição do PT é convocação de eleições diretas, o povo brasileiro tem que votar, o povo brasileiro tem que escolher”, completou. Zarattini foi enfático ao afirmar que, se o governo não tomar a decisão de renunciar, Temer sairá do poder por ação da “Câmara e do Senado através do impeachment”.

O deputado José Guimarães (PT-CE), líder da Minoria, disse que, caso Temer não renuncie, a Câmara tem o dever de instalar a comissão do impeachment imediatamente. “Para isso, vamos procurar o presidente da Câmara, juntamente com todas as lideranças, e paralisar todas as votações da Casa, já que ela não pode funcionar diante de tamanha crise. É preciso buscar uma solução política, que é a convocação imediata de novas eleições. É o melhor caminho para reconstruir o Estado Democrático de Direito e reunificar o Brasil”, disse Guimarães.

PT na Câmara

Foto: Paulo Pinto/Agência PT

Nenhum comentário:

Postar um comentário