sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Petista classifica “erro” de O Globo de “lixo” jornalístico e defende regulação da mídia



Em um duro discurso feito na tribuna da Câmara, nesta terça-feira (10), o deputado Bohn Gass (PT-RS) condenou o jornalismo praticado pelos veículos das Organizações Globo e o classificou de “lixo jornalístico”. O parlamentar se referiu à mentira publicada pelo jornalista de O Globo, Lauro Jardim que afirmou, em sua coluna, que o delator da Operação Lava Jato da Polícia Federal, Fernando Baiano, pagou despesas pessoais de Fabio Luís Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, no valor de R$ 2 milhões. O periódico foi obrigado a publicar um desmentido, mas o fez num cantinho do jornal com o titulo “O Globo errou”.

“Várias matérias que eu li foram feitas em cima de uma informação errada do jornal O Globo que, no último domingo, em nota de capa, desmentiu. Então, caros deputados, isso tudo é lixo jornalístico. Aí eu pergunto: como é que fica esse lixo? Fica o dito pelo desdito?”, questionou Bohn Gass.

O deputado criticou ainda a diferença dada à publicação da noticia mentirosa e o desmentido da informação. Segundo ele, a notícia de que Fernando Baiano havia pago as contas do filho de Lula foi destacada com letras garrafais. Já o desmentido, lembrou, para ler, era necessária uma lupa para identificar a pequena mensagem admitindo que O Globo havia errado e que o Lulinha não havia sido citado.

“Há uma brutal desproporção entre a manchete de O Globo e a notinha de errata posta na capa do jornal. Isso nem de longe repõe o dano causado. Neste caso, é o filho do Lula e certamente ele saberá se defender. Mas e os milhares de cidadãos que são vítimas desta mesma prática irresponsável todos os dias?”, alertou Bohn Gass.

O deputado lembrou ainda que a mentira publicada pelo O Globo foi reproduzida por outros veículos como o jornal Folha de S. Paulo, O Estado de São Paulo e a revista Veja, com uma amplificação da mentira como se presenciou nas matérias da Folha.

“O Globo se desculpa, mas como é que fica a repetição da mentira em outros veículos? E as outras notícias que o próprio Globo fez sobre um fato que não era fato, sobre uma notícia que não era notícia, e o dano causado à família, ao Lula. Todos eles obviamente recorrerão à Justiça. Mas a deformação da opinião pública está posta”, lamentou Bohn Gass.

Apelo – O deputado fez um apelo a seus pares para que a Câmara faça esse debate com coragem. Ele conclamou também que a Casa não aceite o discurso carregado de “simplificação canalha” ao argumentar que a regulação da mídia é censura. “Impedir esse debate é que é censura”, frisou.

“A primeira coisa que temos que fazer é saudar a decisão do Senado Federal de modificar o direito de resposta no Brasil. O cidadão precisa ter o direito de repor verdadeiramente a sua honra e uma notinha de jornal não dá conta de reparar este dano”, observou.

Para Bohn Gass, todo o processo democrático se constrói com uma imprensa livre, responsável, decente, formadora e não deformadora da opinião pública.

Benildes Rodrigues

Foto: Brasil 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário