quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

“É hora do PT levantar a cabeça”, recomenda Lula



O ex-presidente Lula fez um discurso emocionado e carregado de simbologia na noite de quarta-feira (11), na abertura da última etapa do 5º Congresso do Partido dos Trabalhadores. Além de injetar ânimo na militância, Lula mandou recado à oposição que insiste em não aceitar a derrota eleitoral de 2014 e tenta associar o PT a denúncias de corrupção.

“Não podemos ficar nessa disputa com eles. Dilma ganhou as eleições. Ela tem que governar esse país e cuidar do nosso povo. Ela não pode ficar atrás de passeata não. Deixa a mulher trabalhar”, recomendou Lula. “Eu perdi a eleição em 89 e todos sabem como perdi. Não fiquei na rua protestando. Fui me preparar para outra. Nem isso eles aprenderam. Acham que a campanha não acabou”, criticou Lula.

Ovacionado pela plateia composta de parlamentares, ministros e militantes que lotaram o auditório da LBV, em Brasília, o ex-presidente  alertou o PT e o governo para não entrarem no clima de disputa pós-eleitoral da oposição.

Segundo Lula, setores da mídia e da oposição agem como se o PT fosse o único partido que faz campanha arrecadando recursos.  “Me parece que  os tucanos arrecadam o dinheiro numa campanha como se fosse criança esperança. Não tem empresário. São os oprimidos do país que financiam a candidatura deles”, ironizou.

O ex-presidente enfatizou que o PT paga o preço das transformações que implementou durante 12 anos no comando do País. Um dos “crimes” condenados pela elite, segundo Lula, foi a constatação da ONU feita ao mundo de que não existe mais fome no Brasil. Outros crimes “imperdoáveis” para a elite e praticados pelo PT, também elencados por Lula, estão nos dados que demonstram a maior transferência de renda nos últimos 80 anos e a abertura das portas das universidades para milhares de pessoas que nunca pensaram em fazer um curso superior.

No entanto, Lula frisou que para a elite o maior crime que o PT cometeu foi a reeleição da Dilma e é por isso que eles querem sistematicamente destruir o partido. “Não se esqueçam que nós somos o partido que mais tempo vai governar este país. Quando Dilma terminar o seu mandato serão 16 anos de governo do PT”, contabilizou.

Em relação às denúncias de corrupção que a imprensa e a oposição querem associar ao PT, o ex-presidente foi taxativo: “A gente reclama das investigações? Não. A gente reclama é da interpretação das investigações. Porque não tem um instrumento neste país que esteja servindo para investigar tantas denúncias de corrupção como os instrumentos que nós criamos”, lembrou.

Lula ilustrou que dentre os instrumentos investigatórios estão a Lei da Delação Premiada, o Portal da Transparência, a Lei do Acesso à Informação e a Controladoria Geral da República, instrumentos criados e aperfeiçoados nos 12 anos do PT à frente do governo federal. “Vocês lembram que antes de nós, o nome do procurador-geral da República era o de engavetador ”, recordou.

Lula lembrou também que o discurso de corrupção sempre é usado por aqueles que não têm propostas para fazer o debate político, social ou econômico. Segundo ele, historicamente, a corrupção tornou-se o principal discurso da direita no mundo inteiro.

“Sou filho de uma mulher que nasceu e morreu numa favela. O legado que ela me deixou foi o de andar de cabeça erguida neste país e ninguém vai me fazer baixar a cabeça por denúncias contra o nosso partido”, asseverou.

O ex-presidente se mostrou preocupado porque há semelhança entre os fatos atuais e o que ocorreu no governo de Getúlio Vargas. Na avaliação de Lula, os opositores atacam o PT “de todos os lados, de todas as frentes com artilharias leve e pesada”. Para ele, há uma guerra eletrônica contra o PT e não existe preocupação se o que foi dito é verdade ou mentira. O que querem, enfatizou, “é  tentar difamar o PT e destruir o partido”. Para Lula, é neste momento que o orgulho de ser petista deve aflorar-se.

Ele lembrou que o PT nasceu para ser diferente e vai ser diferente. “É hora dos petistas levantarem a cabeça. É hora de ter orgulho e enfrentar o debate sobre a corrupção neste país. A gente não pode aceitar  a pecha de corrupção que que eles querem incutir na nossa testa”, enfatizou.

Para Lula, “quem não quiser cumprir o ritual ético no partido, na sociedade ou nas instâncias governamentais é melhor sair do PT”, arrematou Lula.

Erro –  O ex-presidente comparou o PT a uma criança. Para ele, o melhor momento de criação de um filho é quando este está no colo, não fala, não anda e não engatinha. Sempre precisa de colo. Quando cresce, continuou o presidente, em vez de ajudar, começa a criar problema. “Assim é o partido. Antes, era meia dúzia de loucos que começaram um movimento em 1979 e, de repente, se transformou no maior partido de esquerda do mundo, com exceção da China”, reconheceu.

Ainda, para Lula, com o crescimento do PT os defeitos começam a surgir e hábitos não recomendáveis começam a ser adquiridos. “Não nascemos para isso. Nós não nascemos para ser igual aos outros. Nós nascemos para ser diferentes”.

5º Congresso – Lula disse ainda que não é a favor da ideia do PT voltar à origem. Para ele, o PT precisa, sim, repensar o seu papel na sociedade. Ele defende que a direção do partido congregue os principais quadros e tenha mais representividade, mais força pública  para fazer o debate político.

“É preciso voltar a construir sonhos. É preciso voltar a construir utopia porque a humanidade não caminha sem esperança”, finalizou Lula.

Benildes Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário