quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Novo ministério: Quem pilota esse timão é Dilma



“OU ELES OU EU”. Assim resume a ópera “O ministério da Dilma”. 

A retórica usada por alguns petistas e/ou eleitores da Dilma sobre nomeações de alguns ministros, entre eles, a Kátia Abreu e o Eliseu Padilha mostra um dilema que vivemos desde que o PT e aliados assumiram o poder em 2003. Até hoje a maioria não sabe separar partido e governo.

Pergunto aos revoltados online do PT: Se o PT fosse o “dono” do governo ele nomearia esses dois ministros citados?  É possível um país ser governado por um único partido?

Como militante e filiada posso recorrer a recursos ideológicos para justificarem o meu descontentamento, a minha revolta com as referidas indicações. Mas como ser politico e conhecendo o PT há 30 anos, posso firmar que se dependesse do partido, muitos ministros indicados seriam cortados da lista da Dilma. Não depende. O Partido dos Trabalhadores é apenas mais um. O novo ministério de Dilma comprova essa assertiva.

Não se governa sozinho. Por isso são feitas as alianças politicas. O PT pode até pleitear o protagonismo no governo Dilma, mas vai disputar com vários partidos que também contribuíram para a eleição dela. O sucesso de qualquer gestão requer governabilidade, governança e accountability. Para isso, precisamos acreditar e torcer para que as figuras escolhidas desempenhem bem suas funções.

Abandonar o barco? Desfiliar do PT? O partido não pode ser penalizado. Aqueles que tomam essa decisão ainda não entenderam que partido é partido e governo é governo. Ou é isso ou é fraqueza ideológica. Imaginem se uma Kátia Abreu da vida  vai ter ingerência sobre meus princípios ideológicos.  É dar muita importância a alguém que está de passagem num governo democrático e popular. Já, já ela pede para sair.

Não esqueçam que quem pilota esse timão é Dilma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário