sábado, 30 de abril de 2011

O DIA QUE FIQUEI DUPLAMENTE EMOCIONADA

Ontem, quase morri de felicidade. A emoção transbordou duplamente no meu coração.
Ontem partilhei, mesmo que por segundos, da comunhão celebrada pela família Lula da Silva e amigos, levando a boa nova.
O responsável por isso foi o meu amigo e companheiro Jorge Ferreira. Liguei para o Jorge para dar o resultado da reunião do DN-PT sobre o pedido de refiliação do Delúbio. Ele me disse: advinhe onde estou. Estou na casa do presidente Lula e você vai dar a noticia em primeira mão p/ ele.
 
Não acreditei. Ao fundo ouvi a voz do Jorge dizendo: Lula, a Benildes quer te dar uma notíca. Eu pensando e dizendo para as pessoas que estavam junto comigo: não acredito que  vou falar com Lula. Do outro lado da linha a voz rouca, feliz e inconfundível disse: Oi querida, é o Lula. Eu disse: Você não imagina o tamanho da minha felicidade. Estou duplamente feliz, eu disse. Primeiro por estar falando com o meu eterno presidente; segundo, porque o DN-PT aprovou o retorno do Delúbio. Foram 60 votos favoráveis. Lula perguntou: Quantos votaram contra e eu respondi: 15 contra e duas abstenções. Ele me pediu: Fale ao Delúbio que estou mandando um abração p/ ele. Um beijo prá você e fique com Deus.
 
Faço este relato não para me exaltar ou promover. Faço para dividir a emoção e felicidade, principalmente com aqueles que como eu, lutaram cotidianamente para restabelecer a justiça.
 
Em 2005, com o golpe em curso, para destituir o presidente, batalhamos. Fomos chamados de ladões e mensaleiros. Todos sabíamos que não éramos nem uma coisa e nem outra. Um erro foi cometido, mas tinhamos o entendimento de que tal erro era do conjunto do partido e não  de um indivíduo. Como boa libriana que tem a justiça como imperativo, lutei. Fomos p/ rua, fizemos carreata, fizemos vigilia. Sofremos muito, mas não abaixamos a cabeça em nenhum momento. Quando gritavam: ladões, nós levantávamos a nossa bandeira vermelha cada vez mais alto. Nós lutamos com unhas e dentes p/ defender o partido.
 
Lutamos pelo PT, pelo governo, por Delúbio, por Zé Dirceu. No nosso entendimento, um partido como o PT não pode abandonar um companheiro pelo caminho, principalmente, companheiros  que como eles,  passaram a vida  lutando para a construção desse Brasil que se delineou e concretizou nos 8 anos do governo Lula e que Dilma o deixará muito melhor.
 
Essa felicidade transbordante que habita meu coração, divido com cada um, que nesta lista e em outras, participaram de todo o processo de defesa do PT, do governo Lula, mas, fundamentalmente pelo restabelecimento da JUSTIÇA.
 
Essa felicidade dedico a nossa companheira Dalva que infelizmente nos deixou, mas enquanto presente, lutou arduamente. Viva Dalva!
 
Obrigada e Salve Jorge
Salve Lula
Salve Francisco Rocha
Salve Zé Dirceu
Salve Delúbio e seja bem-vindo de volta ao Partido dos Trabalhadores.
Benildes Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário