quarta-feira, 25 de abril de 2012

CPMI é instalada e solicita documentos das operações Vegas e Monte Carlo

odairCPMIFoi instalada nesta quarta-feira (25), com eleição do presidente e do relator, a CPI Mista que investigará denúncias de irregularidades nas relações entre o contraventor Carlos Cachoeira com empresas e os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O deputado Odair Cunha (PT-MG) foi eleito relator e o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) assumiu a presidência do colegiado.

A primeira iniciativa da comissão foi aprovar o requerimento do relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), que solicita ao Supremo Tribunal Federal (STF), à Procuradoria Geral da República (PGR) e à Polícia Federal (PF), cópia dos inquéritos da PF que tratam das operações Vegas e Monte Carlo, objetos da investigação.

Odair Cunha disse que qualquer iniciativa do colegiado requer um conhecimento prévio dos autos da investigação que levaram a Câmara e o Senado a instituir a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito.
“Solicitamos as cópias dos processos por entendermos que só a partir da análise desses documentos é que vamos estabelecer o plano de trabalho e a abrangência da investigação que pretendemos realizar”, destacou o relator .

Odair Cunha adiantou ainda que a convocação de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, mesmo sendo a peça principal do inquérito, ainda não foi definida. “Nós não podemos inquiri-lo a partir de matéria de jornal. Ainda não está claro se devemos convocá-lo  no meio ou no final da investigação, mas com certeza não será no início”, assegurou .

Em relação à proposta de criação de sub-relatorias para subsidiar os trabalhos da comissão, Odair Cunha foi enfático ao afirmar que não vê a necessidade desse procedimento na fase inicial da CPMI.

“A sub-relatoria é um trabalho acessório ao trabalho do relator. Neste momento não vejo necessidade de instalação. Não é porque ela venha esvaziar o trabalho do relator. Ela esvazia, sim,  o trabalho dos parlamentares da comissão. O nosso entendimento é que todo membro da CPMI é um relator, desde que ele queira se aplicar a esse trabalho”, explicou.

Na reunião a comissão acatou a questão de ordem levantada pelo do líder do PT na Câmara, deputado Jilmar Tatto (PT-SP), que pediu um prazo ao colegiado para que o relator pudesse apresentar um plano de trabalho.  De acordo com o líder, o roteiro de trabalho pré-definido vai dar mais agilidade à comissão.

"O relator define o plano de trabalho, que será importante porque  acelera os trabalhos e garante o foco da CPMI, que vai ficar no seu objeto, ou seja, apurar o crime organizado sob o comando de Carlos Augusto Ramos , o Carlinhos Cachoeira e suas ramificações no aparelho de Estado”, enfatizou.

Jilmar Tatto fez questão de reafirmar  que o objeto da investigação não é atingir governo ou a oposição. De acordo com o petista, “é uma CPI do Estado Brasileiro, da democracia, em defesa das instituições e da transparência”, ressaltou.

Agenda – A CPI Mista volta a se reunir na próxima quarta-feira (2)  para deliberar sobre o plano de trabalho do deputado Odair Cunha e escolher o vice-presidente da comissão.
Benildes Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário