quarta-feira, 2 de março de 2016

Parlamentares defendem Lula, Dilma e o PT e pregam união contra golpe e ataques

PT36ANOS1

Parlamentares da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara, que marcaram presença no evento em comemoração aos 36 anos do partido, foram unânimes em apontar a necessidade de se defender o tripé – PT, Lula e o governo da presidenta Dilma - que tem sustentado a democracia e os avanços que marcaram a vida da população brasileira nos últimos anos. Para a maioria deles, os ataques que eles estão sofrendo se relacionam com o medo de setores da mídia, judiciário e oposição com o possível retorno do ex-presidente Lula à Presidência da República em 2018.

José Guimarães (CE) - Esse ato foi uma resposta que o PT e o ex-presidente Lula deram à oposição que nos ataca todo dia pelo medo que eles têm que, em 2018, o PT continue mudando o Brasil. É por isso que eles querem interditar Lula, o PT e o governo Dilma. É importante a unidade em torno do PT, de Lula e Dilma. É fundamental garantirmos a unidade partidária e, com as forças progressistas do país, vamos enterrar o morto-vivo pedido de impeachment e vencer as eleições em 2018.

Henrique Fontana (RS) – Este é um momento muito forte da história do País. O ex-presidente Lula tem sido atacado da forma mais absolutamente injusta, por um conjunto de calúnias. Hoje ele fez o seu desabafo e disse que não tem medo de nenhuma investigação. O mais importante do discurso do ex-presidente foi o momento em que ele disse: “se querem me derrotar, tentem democraticamente, respeitando o Estado Democrático de Direito. Venham para a eleição, apresentem um candidato e um projeto para fazer o debate porque estou pronto”, ilustrou.

Wadih Damous (RJ) - As pessoas saíram do ato felizes porque viram o ex-presidente Lula firme, não está abatido e nem baixou a cabeça por conta dessa campanha sórdida articulada por setores do judiciário, do MP e da grande imprensa. Ele falou o que todos esperam ouvir. Se quiserem derrotá-lo, vão ter que derrotá-lo nas urnas, não com campanha sórdidas, não com falsas apurações. Então, se querem discutir o Brasil, vamos discutir o Brasil. Se querem derrotar o nosso projeto, que nos derrote nas urnas. Querem tirar no tapetão, não vão conseguir. Esse foi o entendimento da militância e ela barrará, junto com o povo brasileiro, qualquer tentativa de golpe.

Carlos Zarattini (SP) - Nós temos que reagir, não só contra a tentativa de impeachment do governo da presidenta Dilma, mas também contra todo esse grupo que vem dominando o sistema judiciário - juízes, promotores e setores da PF, que tentam criminalizar o PT e os movimentos populares. Esse ato é em comemoração aos 36 anos do PT, mas uma reação, não só em defesa do ex-presidente Lula, mas em defesa das garantias dos direitos democráticos no Brasil.

Moema Gramacho (BA) - O ex-presidente Lula fez um discurso maravilhoso, corajoso, onde ele mostra, claramente, o golpe que está querendo ser perpetrado no País por aqueles que não se conformam em ter perdido as eleições. Ele mandou um recado: “Quer ganhar, vá se preparar para disputar no voto”. Aqueles que não têm condições de disputar no voto, querem impedir que ele continue de pé para mais uma disputa. Defendemos as investigações, não a perseguição. Lula não tem medo. Ele está pronto para o que der e vier. Nós acreditamos nele. Vamos juntos, pois vamos vencer mais esta batalha.

Paulo Teixeira (SP) - Esse ataque que estão fazendo com Lula se deve por todo processo de mudança que o ex-presidente conseguiu concretizar e liderou. Hoje há uma tentativa de criminalizá-lo. Estão fazendo uma auditoria na vida dele e, para isso, estão cometendo uma série de abusos. Portanto, é fundamental a defesa do ex-presidente Lula. Ele não é só a maior liderança do Brasil, como é uma pessoa que ajuda muito na condução de um processo de mudanças. Creio que há uma ação contundente para desconstruí-lo tendo em vista não só o que ele representa, mas o futuro do Brasil, que ele pode representar no futuro voltando à Presidência da República.

Erika Kokay (DF) - Este ato é a força do PT e o que representa Luiz Inácio Lula da Silva, não para o PT, ou para a esquerda, mas para o conjunto do país. Lula representa a possibilidade deste país descontruir todas as formas de desigualdades que fizeram parte da sua própria história. Por isso, esse ato é para dizer que a força do Lula é muito maior do que eles conseguem imaginar. Reproduzo aqui o que disse o vice-prefeito da cidade do México que participou do seminário dos 36 anos do PT: “O ataque ao Lula é um ataque a todo o povo latino americano”.

Nilto Tatto (SP) - O PT e o presidente Lula são patrimônios do povo brasileiro. Nós nunca tivemos na história do Brasil um partido que fosse construído como o PT e que, sob a liderança do presidente Lula, começou a implementar uma série de conquistas que mudou a vida do país. O povo não vai deixar acabar com a história e o legado que o ex-presidente Lula deixou ao Brasil.

Léo de Brito(AC) - A defesa do presidente Lula é fundamental. Estamos falando do Estado Democrático de Direito. É isso que está em jogo. Estamos vendo claramente que instituições que deveriam ser consideradas republicanas como a PF, o MP e a justiça, que deveriam estar prezando pela legalidade, veem buscando atingir pessoas determinadas. Estamos vendo claramente irregularidades sendo cometidas onde a justiça está sendo utilizada para fins meramente políticos, com objetivo de atingir o ex-presidente Lula, o governo Dilma e o próprio PT.

Caetano (BA) - Lula, assim como o PT, é um patrimônio do povo brasileiro. O Partido dos Trabalhadores foi o partido que comandou as transformações neste país. O governo do Lula foi o melhor governo do Brasil em relação ao povo mais pobre do país. Foi um governo que mostrou que tinha um lado – o dos trabalhadores. Portanto, eles querem destruir Lula e o PT para destruírem o país assim como fizeram no passado. Os movimentos sociais reagem e estão aqui. Essa é a nossa resposta a isso e vai ser assim no Brasil inteiro.

Assis Carvalho (PI) – O PT é um partido que vem mudando a realidade deste país incluindo os mais humildes, fazendo um país para todos e não apenas para alguns, como sempre aconteceu em governos anteriores. A agressão ao Lula faz parte de uma articulação da direita em comum acordo com uma parcela da grande mídia e de setores do judiciário que sabem, muito bem, que a única possibilidade que de se evitar uma vitória do presidente Lula em 2018 é fazer essa criminalização. Essa artimanha não prosperará.

Valmir Assunção (BA) - É bom registrar que o presidente Lula e o Partido dos Trabalhadores sempre foram atacados na sua história, desde a sua fundação. Estamos numa luta de classe e um ato como esse é importante para fortalecer a nossa disputa e, ao mesmo tempo, afirmar que temos que continuar construindo o Partido dos Trabalhadores, as organizações sociais e trabalhar para continuarmos governando o país e mudando a vida das pessoas.

Zeca Dirceu (PR) - Essa homenagem é Justa, necessário e importante. Lula é a maior liderança política do país. Deu uma grande contribuição para o Brasil antes de ser presidente, na Constituinte, na luta pela democracia, na fundação do PT e deu uma enorme contribuição para milhões de brasileiros quando foi presidente. Hoje é perseguido, injustiçado, caluniado. Estamos todos juntos na sua defesa, na defesa do PT que também significa a defesa da democracia, defesa do equilíbrio que o Brasil precisa ter para continuar sendo um país democrático.

Angelim (AC) - Ato extremamente importante porque se trata de maior liderança política do país, que fez o combate intransigente à pobreza, à desigualdade social e assegurou direitos às minorias. Hoje, ele é vitima de uma criminalização que a grande mídia junto com os partidos conservadores veem travando contra ele. Tudo porque Lula é uma ameaça porque sabem que a nossa maior liderança poderá vir a retomar a presidência da República em 2018. Então, essa manifestação das forças populares é importante para preservar, não só a questão política, mas a dignidade, a ética de um dos maiores políticos da história recente do Brasil.

Paulão (AL) - Esse ataque da elite brasileira, articulada com a grande mídia, tenta o impedimento da presidenta Dilma, desgastar o Lula e aniquilar o PT. A série de debates que o PT vem promovendo vai conseguir colocar um plano de ação no sentido de evitar esse linchamento moral que a elite está querendo fazer com a maior liderança do Brasil, que é o presidente Lula.

Ságuas (MT) - Em primeiro lugar, é importante ressaltar que o PT é um partido que surgiu dos movimentos social e sindical e foi fundamental na consolidação da democracia. Então, nesse momento em que o PT comemora 36 anos, precisamos trabalhar para o fortalecimento, não só do presidente Lula, não só do PT, mas de fortalecer as nossas lutas, o nosso legado enquanto partido e enquanto governo.

Rubens Otoni (GO) - Este ato representa muito mais do que a defesa do ex-presidente Lula. Representa a defesa da democracia, a defesa de uma caminhada histórica, onde o ex-presidente Lula é o símbolo desta trajetória vitoriosa do povo humilde e trabalhador. Então, defender o presidente Lula significa resgatar a democracia e aquilo que fizemos para ampliar o horizonte daqueles que sempre foram excluídos em nosso país.

Valmir Prascidelli (SP) - Precisamos comemorar muito os 36 anos do PT partido que, sem dúvida, é o maior de esquerda do mundo. Esses ataques que o presidente Lula tem sofrido, são ataques que o PT sofreu ao longo de sua história. Nunca foi fácil a vida do PT. Os adversários históricos sabem o que o presidente Lula representa para o povo brasileiro e tentam manchar sua honra, manchar sua história para tentar impedir que ele retorne em 2018.

Benildes Rodrigues

Foto: Ricardo Stuckert

Nenhum comentário:

Postar um comentário