quarta-feira, 2 de março de 2016

“Se quiserem me derrubar, terão que me enfrentar na rua”, avisa Lula em ato do PT

PT36ANOS2

Em ato marcado pelo simbolismo histórico que representa os 36 anos do Partido dos Trabalhadores, milhares de pessoas entre trabalhadores, ativistas culturais, representantes do movimento negro, partidos políticos, movimentos sociais, deputados, senadores, ministros e governadores ouviram atentamente no sábado (27), no Armazém Utopia, no Rio de Janeiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mandar um claro recado a seus opositores: “Eles pensam que vão me tirar da luta. Se quiserem me derrubar, vão ter que me enfrentar na rua”, avisou.

Lula direcionou o recado aos setores da mídia, do judiciário e da oposição que têm produzido mentiras com objetivo de destruir a sua honra, manchar a sua história e interditar o PT.

“Se eles quiserem voltar ao poder, têm de aprender a ser democráticos e respeitar os resultados das eleições”, discursou Lula, para olhares atentos que acompanharam um discurso corajoso e contundente.

“Não podemos criminalizar qualquer pessoa a partir de manchetes de jornais. A gente não tem hoje um grande partido de oposição. Nós temos um partido chamado Globo, um partido chamado Veja, outro chamado outros jornais, que são quem de verdade lideram a oposição no país”, denunciou Lula.

Para o deputado Afonso Florence (BA), líder do PT na Câmara, o ex-presidente deu à militância a linha política para o enfrentamento da atual conjuntura. Florence avaliou que Lula deixou nítido que há um ataque sendo desferido ao projeto que ele liderou e que mudou a vida de milhões e milhões brasileiros. “Ele – como grande líder do projeto e presidente melhor avaliado na história do Brasil – mostrou a sua dimensão de estadista e saiu na defesa da democracia e das conquistas sociais do último período”.

Florence avaliou ainda a reação imediata dos militantes diante da fala do ex-presidente. “A militância aderiu a esse chamado, tanto a que estava presente ali naquele ambiente, como a que acompanhava pela internet. Era o que a gente esperava dele, e ele disse tudo de uma forma muito espontânea. Organizou a intervenção da militância democrática, popular e de esquerda na defesa da democracia e das conquistas econômicas e socais, ambas sob ataque conservador”.

Vítima de ataques cotidianos proferidos por empresas jornalísticas, o ex-presidente Lula afirmou à plateia que lotou o Armazém no cais do porto: “Se for necessário, se vocês entenderem necessário que para defender este projeto que está sob ataque, em 2018 eu estarei com 72 anos, com tesão de 30 e volto a disputar a eleição”, afirmou Lula, se colocando à disposição do país para assegurar as conquistas e avanços por ele implementados desde que assumiu o poder, em 2003.

“Eles pensam que fazendo essa perseguição vão me tirar da luta. Eles não conhecem o que é o PT”, completou o ex-presidente.

Guarujá – Ao falar sobre a compra do tríplex no Guarujá o presidente Lula fez duras críticas ao Ministério Público. Para ele, a falsa notícia produzida pela mídia nas últimas semanas sobre o assunto mostra claramente um conluio entre o MP e esses setores da mídia. "Não imaginava, depois de brigar na Constituinte para ter um Ministério Público forte e independente, ver, hoje, um MP fazendo o jogo da imprensa, fazendo o jogo da Veja e da Globo", lamentou.

“Eu sou acusado de ter um apartamento, um triplex, eu quero saber como é que vai ficar essa história”, cobrou. O ex-presidente contou que inúmeras vezes já afirmou não ser proprietário do imóvel. “Eu digo que não tenho, a imprensa diz que eu tenho, mas um cidadão do Ministério Público segue ipsis litteris o que diz o Globo", disse, referindo à postura adotada pelo promotor Cássio Conserino.

Paraty - Para Lula, a sanha dos seus adversários fez com que eles dessem um tiro nos próprios pés. “Como eu acredito em Deus, e ele escreve certo por linhas tortas, inventaram uma empresa no Panamá, tal de offshore. Eu nem sei o que é isso. Isso deve ser coisa para enganar pobre. Disseram que uma empresa offshore era dona do tal meu apartamento, e o que aconteceu? Ela era na verdade dona do triplex em Paraty e do helicóptero da Globo", afirmou.

Benildes Rodrigues

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Nenhum comentário:

Postar um comentário