quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Propinoduto tucano: E-mail da Siemens compromete ex-governador José Serra




TUCANOS2
Um novo capítulo do esquema envolvendo multinacional alemã Siemens com os governos tucanos veio à tona nesta quinta-feira (8), na edição do jornal Folha de S.Paulo.  Segundo o jornal, a troca de um e-mail entre um executivo da multinacional e seus superiores, em 2008, relata que o ex-governador do estado de São Paulo, José Serra (PSDB) propôs à empresa alemã, nesse mesmo período, um acordo para evitar entrave numa licitação envolvendo a Companhia Metropolitana de Trens e Metrôs (CPTM).

Segundo a Folha, a mensagem narra a conversa entre o executivo da multinacional, Nelson Branco Marchetti com José Serra e o então secretário de Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella.  O encontro, de acordo com o jornal, ocorreu durante congresso do setor ferroviário em Amsterdã, na Holanda.

Na mensagem, o funcionário da Siemens relata que José Serra avisou que cancelaria a licitação para aquisição de 40 novos trens pela CPTM se uma das empresas concorrentes, a espanhola CAF fosse desqualificada. No entanto, o ex-governador garantiu, segundo a Folha de S. Paulo, que ele e o Portella poderiam considerar outras “soluções” para evitar disputa empresarial o que, segundo ele, provocaria atraso na entrega dos trens.

Para o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP) esse episódio é apenas o “fio da meada”.  Segundo ele, o Ministério Público e a Assembleia Legislativa de não podem perder a oportunidade de “passar a limpo” os desvios de recursos públicos envolvendo o poder executivo estadual.

“Caiu a máscara do PSDB. A imagem de santos e impolutos caiu por terra. O propinoduto tucano mostra para a população quem eles realmente são. O Ministério Público  não pode mais fingir que não está acontecendo nada. O MP não pode blindar, engavetar as denúncias. É preciso ir fundo nessa história”, defendeu Devanir.

O deputado José Mentor (PT-SP) acredita que, por estar no início, a investigação ainda tem muito a revelar. “Essa prática não é de hoje e há muito tempo vem sendo denunciado”, lembrou. “Eles estão no limite da irresponsabilidade”, parafraseou Mentor uma conversa suspeita entre Ricardo Sérgio, ex-diretor do Banco do Brasil e Luís Carlos Mendonça de Barros ex-ministro das Comunicações de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).  Esse diálogo foi feito por ocasião do escândalo envolvendo a privatização da Telebrás em 1998.

Já o deputado paulista Vanderlei Siraque (PT) lembrou que quando exerceu o mandato de deputado estadual protocolou uma ação popular questionando a execução da linha Lilás do metrô paulista. À época, relata o petista, a juíza determinou o afastamento do então presidente da CPTM.

“É um esquema antigo liderado pelo PSDB, consolidado pelos governos Serra e Alckmin. É uma prática do PSDB que só agora a imprensa está divulgando porque não tem mais como esconder. Para desespero dos tucanos, não dá mais para tapar o sol com a peneira” avaliou Siraque.

A denúncia - Um ex-funcionário da multinacional alemã Siemens denunciou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), ao Ministério Público Estadual e à Procuradoria–Geral do Estado de São Paulo o esquema fraudulento envolvendo a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) que funcionou durante os governos Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin.

Benildes Rodrigues
Arte: Claudia Barreiros
Texto publicado originalmente no PT na Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário