quinta-feira, 14 de junho de 2012

Líder do PT rechaça manobra política do PSDB na CPMI: “Oposição está sem rumo”

liderCPMI140612O líder da bancada do PT na Câmara, deputado Jilmar Tatto (PT-SP), classificou de “ridícula” e “absurda” a manobra do PSDB de apresentar à CPMI do Caso Cachoeira, requerimento de convocação da presidenta Dilma. A proposição dos tucanos esquentou o clima da reunião da CPMI nesta quinta-feira (14). O presidente da comissão, deputado Vital do Rêgo (PMDB-PB), rejeitou o requerimento e o tachou de atentado à Constituição. Para o líder petista, o despropósito do PSDB comprova que a oposição está “sem rumo”.

“A oposição, a cada dia que passa, cai no ridículo. Esta é uma proposta descabida primeiro porque, do ponto de vista constitucional, Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) não tem essa competência. A oposição está cada vez mais desnorteada, não tem programa, não tem projeto. Mostra mais uma vez a falta de seriedade em apresentar proposta para o país”, analisou Jilmar Tatto.

Sigilo - Os parlamentares aprovaram nesta quinta-feira (14), por unanimidade, a quebra de sigilos bancário, fiscal, telemático e de SMS dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO) e Agnelo Queiroz (PT-DF). A abertura dos sigilos abrange o período de dez anos.

Convocação – A CPMI adiou a apreciação do requerimento de convocação do ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot e do dono da Delta, Fernando Cavendish. A proposta foi apresentada pelo relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG). 

Em relação à convocação de Cavendish, o relator argumentou que não existem indícios suficientes que justifiquem a convocação. “É preciso, inicialmente, analisar as informações recebidas pela comissão. Neste momento, entendo não ser necessária a aprovação ou a rejeição deste requerimento", justificou Odair Cunha.
Sobre a convocação do diretor do Dnit, Odair resumiu: “Se Pagot tem denúncias a fazer, ele pode procurar a Polícia Federal”.

Para Jilmar Tatto, o sobrestamento dos requerimentos foi uma “medida correta”. Segundo ele, a posição do relator da comissão em ter prudência e aguardar novos desdobramentos são necessárias . “Vamos avaliar, no momento oportuno, se convoca ou não”, disse.

Na avaliação do líder do PT, o requerimento de convocação do diretor do Dnit representa estratégia de luta política. “O interesse da oposição em convocar o Pagot é para discutir o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O PAC não é objeto da CPI”, argumentou o líder petista.
Benildes Rodrigues
Publicado originalmente no site PT na Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário