terça-feira, 12 de março de 2013

Graça Foster rebate oposição: “Não há crise na Petrobras”


gracafoster-D1A presidente da Petrobras, Graça Foster, disse nesta terça-feira (12) ao site da Liderança do PT na Câmara que não existe crise na companhia. “A Petrobras não passa por qualquer dificuldade financeira. Nossos investimentos em 2012 chegaram a 84,1 bilhões de reais, a maior realização na história da Petrobras”, disse. A declaração foi dada a propósito de campanha contra a empresa organizada por partidos de oposição e  capitaneada pelo PSDB.

“Temos, como sempre tivemos, em 60 anos de história, grandes desafios a superar, que são também enormes oportunidades de crescimento para a companhia”, disse Graça Foster.

Ela também rebateu as críticas ao atual estágio na exploração do pré-sal, lembrando que as metas estão sendo cumpridas e os resultados são “os melhores possíveis”.   Foster relatou que no mês de fevereiro a estatal atingiu a marca de 300 mil barris/dia de petróleo produzidos no pré-sal. Isso, segundo ela, ocorreu em apenas sete anos após a descoberta da camada do pré-sal.

Para dimensionar a importância do feito, a dirigente observou que a mesma marca só foi obtida, no Golfo do México, após 17 anos de exploração.   “Nós conseguimos isso no pré-sal com apenas 17 poços produtores, o que mostra a elevada produtividade desses campos já descobertos”, disse.

O  líder do PT na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), analisou que em dez anos de transformações protagonizadas pelo  governo  liderado pelo PT, a Petrobras - maior empresa estatal do País - foi recuperada do desmonte a que tinha sido submetida pelo governo FHC (1995-2002).

Guimarães lembrou que a estatal passou a receber investimentos, garantindo-lhe meios para modernizar-se e chegar à descoberta e à exploração do pré-sal,  uma das maiores  reservas de petróleo do mundo. O pré-sal , disse o líder, eleva o Brasil a posição estratégica, diante da demanda de energia mundial.

Para Guimarães, a “crise” na Petrobras é invenção da oposição que, quando no governo, privatizou 30% da empresa na bolsa de Nova York, por valores irrisórios diante da magnitude da estatal. O líder lembrou que a Petrobras não foi totalmente privatizada no governo do PSDB dada à reação de diferentes forças da sociedade brasileira, entre elas o PT. Os tucanos também tentaram mudar o nome da empresa pra Petrobrax e a fatiaram em diferentes unidades de negócios para pavimentar o caminho da privatização, prática que integra a cartilha neoliberal do PSDB.

Os números não deixam margem a dúvidas: com o governo do PT e aliados, a Petrobras recuperou-se e transformou-se em uma das maiores petrolíferas do mundo.

Lucro - Em 2002, último ano do governo tucano de Fernando Henrique Cardoso,  a empresa valia  US$15,5 bilhões; no ano passado, o seu valor de mercado era de  US$ 126 bilhões. O lucro líquido em 2002 foi de R$ 8,1 bilhões; no ano passado foi de R$ 21,2 bilhões.

Em 2002, a empresa investiu R$ 18,9 bilhões e, no ano passado, a cifra foi de R$ 84,1 bilhões. O número de empregados quase dobrou nos últimos dez anos, passou de  46,6  mil empregados em 2002 para 84,7 mil no ano passado.

Outro dado que mostra o êxito da gestão da Petrobras durante o governo do PT: a produção de petróleo saltou de  1,5 milhão de barris/dia em 2002 para 1 milhão e 980 mil barris/dia. No mesmo período, a receita da estatal saltou de R$ 69,2 bilhões para R$ 281,3 bilhões.


Benildes Rodrigues com  PT na Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário