segunda-feira, 23 de maio de 2011

Um novo golpe se vislumbra na praça

Certa vez uma professora do curso de jornalismo disse que o "maior sonho de um jornalista é derrubar um presidente da Republica". O caso Lacerda X Getúlio é um exemplo que corrobora com a frase da professora.

No entanto, os fatos mostram que tal vontade não é de um simples jornalista. É da mídia burguesa como um todo. A mídia, leia-se PIG, brasileira vem tentando essa façanha desde 2002, quando, pela primeira vez na história, o Brasil conseguiu eleger um metalúrgico, um trabalhador para presidir o país. A crise elaborada, gestada pelo PIG e encampanada pela oposição, em 2005 mostrou claramente a intenção.

Enganam-se aqueles que pensaram que tal intento tinha cessado. E não pensem que eles (PIG) vão parar no caso Palocci. A "lua de mel" entre imprensa e governo Dilma foi só uma pequena tentativa de criar um clima negativo entre Dilma e Lula. Não conseguiram. 

O artigo de Zé Dirceu (http://www.zedirceu.com.br/), embasado nas declarações do ministro José Eduardo Cardozo, mostra claramente a tentativa da mída em criar "fato político" que venha obrigar a presidenta Dilma a demitir o ministro Palocci.  Se Dilma entrar nesse joguinho rasteiro e falacioso da imprensa brasileira e afastar Palocci, abrirá um corredor para outras denúncias infundadas contra outros ministros importantes do seu governo.

O PIG está querendo reeditar a crise de 2005. Cabe ao PT, aos aliados no Congresso Nacional impedir qualquer tentativa de um novo golpe que se vislumbra nas repostagens veiculadas pelos "grandes" jornais deste país.

A nós, blogueiros, twiteiros, listeiros, facebookeiros, etc, que defendemos o Projeto de Nação defendido e implentado pelo governo do presidente Lula, cabe o papel de desconstruir cada linha de reportagens, editoriais, etc veiculados nessa podridão que é a imprensa brasileira.
Benildes Rodrigues

23/05/2011 13h51 - Atualizado em 23/05/2011 13h53

Dirceu vê 'crise forjada' em polêmica sobre patrimônio e defende Palocci

Em blog, ex-ministro diz que acusações têm ‘poucos fatos’.
Atual ministro multiplicou patrimônio em 20 vezes, segundo jornal.

Robson Bonin Do G1, em Brasília
O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu publicou em seu blog no final de semana artigo no qual defendeu o atual titular da pasta, Antonio Palocci, ao classificar de “crise forjada” a polêmica acerca da evolução patrimonial do colega.
 
Segundo o jornal "Folha de S.Paulo" publicou na edição de 15 de maio, Palocci ampliou o patrimônio em 20 vezes entre 2006 e 2010, quando exercia mandato de deputado federal.

No texto “Declarações que explicam mais uma crise forjada”, Dirceu usa uma frase do ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, para sustentar a falta de “fatos” que justifiquem a pressão sobre Palocci e seus rendimentos milionários.

“‘Há muita fumaça e poucos fatos apresentados’. A definição, uma síntese do que realmente acontece, é do ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, ao analisar a situação criada pelo noticiário em torno do patrimônio do ministro-chefe da Casa Civil, Antônio Palocci”, escreveu Dirceu.

Ainda de acordo com o jornal, no período em que prestou consultoria, por meio da empresa de consultoria Projeto, da qual é proprietário, o ministro adquiriu dois imóveis no valor total de R$ 7,5 milhões - em 2006, segundo o jornal, o patrimônio de Palocci era de R$ 356 mil.
A assessoria da empresa divulgou nota nesta quinta (19) informando que "todas as atividades da Projeto foram realizadas estritamente dentro do marco legal, respeitando limites éticos e exigências de informação por parte dos órgãos de controle".

O jornal ainda publicou outras reportagens nas quais revelou que a consultoria Projeto teve um faturamento de R$ 10 milhões em novembro e dezembro do ano passado, intervalo entre a eleição e a posse da presidente Dilma Rousseff. Em todo o ano de 2010, segundo o jornal, a empresa faturou R$ 20 milhões.

Ainda utilizando declarações de Cardoso, Dirceu, que atua no ramo de consultoria, argumenta que "desde que exista justificativa para isto [o patrimônio] e que os impostos tenham sido pagos, não há ilegalidade nem imoralidade".

“[O ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso] lembrou, ainda, que ‘o enriquecimento como causa, não é punível no sistema brasileiro, nem em nenhum outro país no mundo. O que é punido é o enriquecimento sem causa’”, anotou Dirceu, que ainda lembrou o fato de Cardoso ter negado “que o governo tenha estabelecido blindagem para proteger o chefe da Casa Civil, alvo de várias tentativas por parte da oposição de convocação para depor no Congresso e até de instauração de CPI”.

“’Não há blindagem nenhuma sobre ele’, afirmou. ‘Sinceramente, acho que está havendo um grande rumor, até pela importância do ministro Palocci, pelo papel que ele ocupa no governo. Agora, muito francamente, não surgiu nada que o Ministério Público ou a Polícia tivessem que apurar’”, escreveu o ex-ministro.

http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/05/dirceu-ve-crise-forjada-em-polemica-sobre-patrimonio-e-defende-palocci.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário