terça-feira, 2 de agosto de 2011

MEC se compromete em rever instrumentos de avaliação do ensino superior

 
padre_tonO diretor de Avaliação do Ensino Superior do Ministério da Educação, Paulo Wollinger, disse nesta terça-feira (2) que o Ministério da Educação (MEC) deve revisar os critérios de avaliação do ensino superior. "Atendendo a demanda da Associação Brasileira das Mantenedoras das Faculdades isoladas e Integradas (Abrafi), o MEC assumiu o compromisso de revisar os instrumentos de avaliação. Esses instrumentos serão testados e devem contemplar a realidade local", afirmou.

A afirmação foi feita na audiência pública que tratou da situação das faculdades da Amazônia Legal e o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior, realizada pela comissão da Amazônia da Câmara.

Para o deputado Padre Ton (PT-RO), idealizador do debate, a audiência atingiu o objetivo. De acordo com o parlamentar, o tema da audiência partiu da realidade vivida pela população que ocupa a Amazônia Legal. "É importante a iniciativa do MEC em rever critérios de avaliação. Não queremos ser tratados como cidadão de segunda categoria, mas instrumentos precisam ser vistos a partir da realidade dessa região", defendeu o petista.

Segundo Padre Ton a região carece de professores com a qualificação que o MEC exige. "Há carência de profissionais de medicina, existem muitos doentes e poucos médicos, e os jovens se formam e vão embora. Os doutores que o MEC exige quando vão para a Amazônia Legal não se adaptam ou não recebem o suficiente para ficar na nossa região", lamentou o deputado.

Os deputados Miriquinho Batista (PT-PA) e Taumaturgo Lima (PT-AC) que também participaram do debate, defenderam a importância de analisar a diversidade da região e construir propostas que contemplem essa diversidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário