quarta-feira, 9 de maio de 2012

CPMI do caso Cachoeira: depoimento traz solidez à investigação


odaircunha020512O deputado Odair Cunha (PT-MG), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga a relação entre o contraventor Carlos Cachoeira e agentes públicos e privados, avaliou positivamente o primeiro depoimento colhido pela comissão.

Senadores e deputados ouviram nesta terça-feira (8) o delegado da Polícia Federal Raul Alexandre Marques Souza, responsável pela Operação Vegas, que investigou o esquema de exploração ilegal de jogos.

A primeira oitiva foi feita em sessão reservada e durou mais de 7 horas. “O depoimento do delegado Alexandre Marques trouxe evidências da organização criminosa e seus tentáculos. As provas que a PF produziu traz elementos que dão solidez à investigação”, ressaltou Odair Cunha.

Sobre a relação entre o líder das operações criminosas, Carlos cachoeira, e órgãos de imprensa, o relator disse que não podia citar nomes em virtude de o processo correr sob segredo de Justiça, mas afirmou que as interceptações telefônicas apontam para o envolvimento de jornalistas.

 “Não podemos citar os nomes que aparecem nas gravações. É importante ressalvar que as gravações não indicam uma relação criminosa, mas apontam para fatos que precisam ser investigados”, defendeu o relator.

Os deputados petistas Cândido Vaccarezza (SP) e Paulo Teixeira (SP), que integram a CPMI, concordaram com a avaliação do relator. Segundo eles, os jornais ou jornalistas citados precisam prestar esclarecimentos. “Temos que avaliar com cuidado, examinar o grau de envolvimento do Policarpo Jr. com o crime organizado. Não podemos incriminar as pessoas sem a comprovação da culpa”, avaliou Vaccarezza.

Agenda – A comissão se reúne na quinta-feira (10), às 10h, para ouvir o delegado da PF Mateus Rodrigues e os procuradores do Ministério Público Daniel Salgado e Lea Batista de Oliveira, que conduziram a Operação Monte Carlo.
Benildes Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário