quarta-feira, 16 de maio de 2012

Ideli nega irregularidade na aquisição de lanchas pelo Ministério da Pesca

guimagushtaA ministra da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti, prestou esclarecimento nesta quarta-feira (16), na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara e negou qualquer irregularidade na aquisição de 28 lanchas por parte do Ministério da Pesca.  O deputado Edson Santos (PT-RJ) presidiu a reunião. 

A ministra informou que o processo licitatório (pregão) e a compra desses equipamentos foram executados na gestão anterior e, só tomou conhecimento do fato, em janeiro de 2011, período em que assumiu o cargo de ministra da pasta.

Ideli Salvati fez questão de lembrar os parlamentares que a Comissão de Ética da  Presidência da República arquivou, por unanimidade, a representação do PSDB que pediu à comissão para apurar possível conduta antiética que ela, porventura, tivesse praticado na condução do Ministério da Pesca.  

De acordo com Ideli, a decisão da Comissão de Ética da Presidência da República deixou claro que nenhum fato ou documento revelam a falta de ética no seu comportamento no exercício de suas funções enquanto ministra.  Ideli mostrou aos membros da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle uma certidão emitida pelo Tribunal de Contas da União (TCU) que comprova que o nome dela não está incluído em nenhum dos processos em andamento no Tribunal.

A ministra negou também qualquer ligação com a empresa Intech Boating que vendeu as lanchas ao ministério. Ideli  rebateu as ilações de que o contrato com a referida empresa tenha sido para privilegiar doador de sua campanha, em 2010. A ministra reafirmou que a doação da Intech foi feita ao comitê financeiro do PT e não para a campanha dela ao governo de Santa Catarina.

“Nenhuma pessoa que trabalhou na minha campanha pediu doação a essa empresa. A doação foi feita ao comitê financeiro do PT. O tribunal eleitoral aprovou as contas do PT e as minhas. As doações foram feitas dentro da legalidade”, declarou.

O vice-líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), reconheceu o papel “republicano” da Comissão de Ética da Presidência da República e ressaltou a decisão do colegiado em inocentar a ministra Ideli Salvati das acusações proferidas pelo PSDB.

“A decisão da Comissão de Ética Pública em inocentar a ministra Ideli é um fato que deve ser ressaltado por que é uma atitude republicana perante a sociedade brasileira. A presença da ministra nesta comissão significa a vontade de esclarecer ao país e a esta Casa, o que de fato ocorreu. Isso demonstra capacidade de diálogo, respeito e compromisso”, ressaltou Guimarães.
Benildes Rodrigues
Postado originalmente no PT na Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário